domingo, 18 de março de 2012

TEATRO

Teatro é bom , Teatro Vicia

Vamos a quatro críticas de ótimos espetáculos que estão em cartaz em São Paulo.


FILHA, MÃE, AVÓ, PUTA – Uma Entrevista


Afastada da TV por falta de bons personagens, Alexia Dechamps se encontra em Filha, Mãe, Avó, Puta. Com ótima adaptação de Marcia Zanelatto e boa direção de Guilherme Leme, Alexia consegue com muita sutileza pegar os trejeitos de Gabriela Leite sem ser caricata, mas com uma interpretação própria e segura. Alexia não está sozinha em cena, o ator Louri Santos consegue dar o contraponto da peça tornando-a mais ágil. Alexia não cai nas armadilhas e estereótipos de uma puta, sua composição e interpretação vai além, tornando seu trabalho mais perigoso porém consistente e com grande êxito.

Ao assistir a montagem, deparamos com a história de uma mulher fantástica em que pouco conhecemos. Gabriela não foi apenas uma garota de programa, é uma mulher de fibra que de seus projetos sociais faz muito pelo país.

Essa é uma peça para ser vista, degustada e refletida, vale a experiência.

Filha, mãe, avó e puta

28 Fev a 19 Abr

Local: Teatro | CCBB SP – Ingresso – R$6,00

Horário: Terça a quinta, às 20h


Dona flor e seus dois maridos


Um clássico da literatura Brasileira. Marcelo Faria, Fernanda Vasconcelos e Duda Ribeiro, levam ao palco essa deliciosa história com grande talento.

Os três não caem nos estereótipo dando a dosagem certeira a seus personagens. Marcelo com seu Vadinho encanta e todos, impossível não ama-lo. Fernanda pela falta de maturidade no teatro e por entrar em uma peça que já tem uma carreira, causa uma certo estranheza no início, mas logo se encontra, porém a voz de Fernanda é algo que se deve prestar mais atenção e ser melhor trabalhada, tem pouca potência , quando usa o grave é perfeita. Duda Ribeiro é outro que encontrou na personagem, quando entra em cena, com muito talento ele logo conquista o público dividindo opiniões- Vadinho x Teodoro.

A direção de Pedro Vasconcelos só peca pelo excesso de blecaute.

O melhor de tudo é que nessa luta quem ganha é o público. Marcelo, Fernanda e Duda fazem dessa simples montagem algo grandioso.

Não posso deixar de falar do restante do elenco que integra a peça, fazendo essa montagem ter um tempero todo especial – com destaque para o elenco feminino.

É o tempero da Bahia – da Mulher – do Brasil

Viva o Teatro Brasileiro.


FICHA TÉCNICA:

Elenco: Fernanda Vasconcelos, Marcelo Faria, Duda Ribeiro, Ana Paula Bouzas, Val Perré, Elvira Helena, Candé Faria, Marco Bravo, Lidiane Ribeiro, Saulo Segreto, Lis Schwabacher, Lisieux Maia, Carla Cristina e Fabio Nascimento.

Adaptação: Pedro Vasconcelos e Marcelo Faria

Direção: Pedro Vasconcelos

Realização: Faria & Vasconcelos

www.donafloreseusdoismaridos.com.br

INGRESSOS:

Sextas R$ 20,00 (inteira) R$ 10,00 ( Meia-Entrada)

Sábados e Domingos R$ 30,00 ( Inteira) R$ 15,00 ( Meia-Entrada)

Duração: 110 minutos.

PREMIAÇÕES:

O espetáculo é vencedor de 3 Prêmios Qualidade Brasil (Melhor Ator – Marcelo Faria, Melhor Diretor – Pedro Vasconcelos e Melhor Espetáculo. É indicado ao Prêmio Shell de Teatro/2008 nas categorias de Melhor Ator – Marcelo Faria e Melhor Diretor – Pedro Vasconcelos e indicado ao Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante para Ana Paula Bouzas pela APTR/2009.

Serviço:

Teatro Sérgio Cardoso

Sala Sérgio Cardoso - 835 lugares

Rua Rui Barbosa, 153 - Bela Vista

São Paulo - SP

Estações do Metrô Próximas: São Joaquim e Brigadeiro

Ar-condicionado

Acessibilidade para Pessoas com Necessidades Especiais

Horário da bilheteria: quarta a domingo das 15h às 19h (vendas antecipadas)

Telefone: (11) 3288-0136


CONVERSANDO COM MAMÃE


Assistir Beatriz Segall e Herson Capri já é garantia de bom espetáculo, mas como uma peça não se faz apenas de atores, o presente foi ainda melhor a começar pelo texto de Santiago Carlos Oves e adaptado para o teatro por Jordi Galceran, que é belo – emocionante e envolvente, impossível não sair do teatro comovido com essa bela obra.

A direção de Susana Garcia é simples mas certeira, faz o que o texto pede. Beatriz Segall é uma atriz que jamais deve deixar de fazer teatro, tem talento e carisma, sua interpretação tem uma força, algo que parece estar ficando raro no teatro, podemos chama-la de A Dama do Teatro também.

Herson Capri tem um apelo da TV muito forte mas em cena ele se livra desse estigma comprovando que é um ator que transita com grande desenvoltura por todos os veículos e que tem um grande talento e respeito pelo ser artista.

Conversando com Mamãe, é a união de grandes talentos, onde só o teatro é capaz de promover esse encontro, é um espetáculo para toda a família.


Ficha Técnica

Autor: Santiago Carlos Oves

Versão Teatral: Jordi Galceran

Tradução: Pedro Freire

Direção: Susana Garcia

Elenco: Beatriz Segall e Herson Capri

Figurino: Kalma Murtinho

Cenário: Marcos Flaksman

Iluminação: Paulo César Medeiros

Trilha Sonora Original: Alexandre Elias

Serviço

Conversando com Mamãe

Teatro Renaissance(462 lugares)

Alameda Santos, 2.233 - Cerqueira César.

Central de Informações: (11) 3069-2286

Bilheteria: de terça a sábado, das 14h às 20h; domingo das 14h às 19h.

Formas de pagamento na bilheteria: Cartões, dinheiro ou cheque.

Vendas: 4003-1212 e www.ingressorapido.com.br

Sextas e Sábados às 21h30. Domingo às 19h.

Ingressos: Sexta R$ 70. Sábado e Domingo R$ 80.

Duração: 80 minutos

Recomendação: 12 anos

Reestreia dia 27 de janeiro de 2012.

Temporada: até 1º de abril.


A Vingança do Espelho : A História de Zezé Macedo

Foi com grande surpresa que assisti “A Vingança do Espelho”, como a maioria do público infelizmente só conhecemos a Dona Bela, da Escolinha do Professor Raimundo, mas Zezé Macedo foi muito mais e merece nosso respeito e admiração, teve uma carreira linda com mais de 100 filmes em seu currículo. Poder conhecer a história de Zezé foi mágico e enriquecedor.

Com texto de Flávio Marinho, a montagem não ganha um tom biográfico e sim uma bela homenagem, fugindo de qualquer clichê que poderia estar presente no texto. Para completar veio a direção de Amir Addad, um dos maiores diretores desse país, que não cai no comum e como poucos sabe fazer teatro, conduzindo esse belo texto com grande maestria, soube tirar o melhor de cada ator.

Ponto alto para Betty Gofman que nessa montagem vai para o drama e comédia com a mesma desenvoltura, sua Zezé não é uma imitação caricata e sim uma homenagem, feita com grande talento. Outro ponto alto é o ator Mouhamed Harfouch que mais uma vez vem mostrando seu talento no teatro, o ator tem segurança. Betty e Mouhmed consegue ser o eixo da peça dando liberdade e caminhos para os demais atores desenvolverem seus trabalhos.

É uma peça para os amantes do Teatro e da Cultura Brasileira.

Vamos ver o que é nosso, não vamos deixar nossa cultura e a memória de nossos artistas morrer.


Ficha Técnica

Texto: Flávio Marinho

Direção: Amir Haddad

Elenco: Betty Gofman, Tadeu Mello, Mouhamed Harfouch, Marta Paret e Marcelo Várzea

Direção de Arte: Afonso Tostes

Iluminação: Paulo Denizot

Trilha Sonora: Alessandro Perssan

Idealização: Eduardo Barata

Produção: Barata Comunicação

Serviço

Local: Teatro Vivo

Capacidade: 290 lugares

Endereço: Avenida Doutor Chucri Zaidan, 860, Morumbi

Tel.: (11) 7420-1520

Dias: Estreia 08/03 para convidados e 09/03 para o público. A peça fica em cartaz até 29/04.

Horário: Sexta às 21h30, sábado às 21h e domingo às 19h.

Ingresso: Sexta R$ 40,00 (inteira) e 20,00 (meia); sábado e domingo R$ 50,00 (inteira) e 25,00 (meia). Preço especial na semana de estreia do espetáculo, ingressos: R$ 10,00.

Funcionamento da Bilheteria: das 14h às 20h (terça a quinta) e a partir das 14h (sexta a domingo)

Classificação: 12 anos

Duração: 110 minutos





Um comentário:

  1. Adorei as críticas!
    Assisti "Filha, Mãe, Avó e Puta", um espetáculo maravilhoso!
    Agora qro assistir aos outros três!
    Obrigada pelas dicas, Thiago!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, volte sempre.